preloder

Notícias

28/05/2019

Atenção ao estresse, pois, além de potencialmente fatal, pode desencadear doenças dos mais diversos tipos.

O estresse é uma resposta física do nosso organismo a um estímulo. Quando estressado, o corpo pensa que está sob ataque e muda para o modo “lutar ou fugir”, liberando uma mistura complexa de hormônios e substâncias químicas como adrenalina, cortisol e norepinefrina, a fim de preparar o corpo para a ação física.

“Existem múltiplas doenças que podem surgir de forma secundária ao estresse. As principais são a depressão e a ansiedade, atingindo, segundo a OMS, cerca de 15% da população. De modo geral, todas as doenças da saúde mental podem piorar com grandes estresses”, explica o psiquiatra do Consulta Aqui, Dr. Marcel Fulvio Padula Lamas.

Sendo assim, quando esse estado se torna corriqueiro, ou seja, começa a fazer parte da rotina, transforma-se em crônico e converte-se em um inimigo que, aos poucos e silenciosamente, vai se tornando um grande problema, chegando até a colocar o paciente em risco de morte.

“Como o ditado “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, se sofrermos estresses do dia a dia múltiplas vezes, podemos desenvolver ou piorar doenças da saúde mental. O estresse crônico seria causado por estressores pequenos e médios, que sabemos lidar bem quando estamos tranquilos. Porém, com o acúmulo dessas condições, podemos ter prejuízos emocionais e físicos”, complementa o Dr. Lamas.

Correlativamente ao estresse crônico, existe também a Síndrome de Burnout, um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso, definido pelo psicólogo americano Herbert J. Freudenberger como um estado de esgotamento físico e mental cuja causa está intimamente ligada à vida profissional, problema muito comum na vida moderna, onde a competição está sempre presente em todas as áreas de atuação, forçando o indivíduo a dar o máximo de si.

Os principais sintomas do estresse são cansaço constante, irritabilidade, ganho de peso, sentimentos de solidão e abandono, dores musculares, falta de libido e energia para praticar esportes, falta de concentração e outros. Ao perceber esses sinais, o paciente deve procurar por ajuda especializada, como um psiquiatra, para correto diagnóstico e tratamento.

“Qualidade de sono, atividades de lazer e físicas, tratamento adequado de doenças relativas à ansiedade/depressão e alimentação adequada são formas de prevenir o estresse e, consequentemente, levar uma vida mais saudável” finaliza o Dr. Marcel.

Fonte: Dr. Marcel Fulvio Padula Lamas, psiquiatra do Consulta Aqui

VOCÊ TEM ATENDIMENTO DE QUALIDADE MESMO QUE NÃO TENHA PLANO DE SAÚDE.