preloder

Notícias

01/11/2018

O inovador Sistema BAHA para perda auditiva.

O procedimento consiste na implantação de uma prótese auditiva ancorada nos ossos do crânio.

Deficiência auditiva (perda auditiva) é quando a habilidade auditiva é reduzida, acarretando na dificuldade em ouvir diálogos e outros sons. As causas mais comuns são a exposição prolongada a ruídos e o envelhecimento, porém, fatores como traumas e infecções também podem ser agentes causadores.

Vem se destacando no auxílio ao combate dessa enfermidade, o Sistema BAHA, que consiste na implantação de uma prótese auditiva ancorada nos ossos do crânio.

“Para entender o BAHA (Bone Anchored Hearing Aid) é preciso entender que quando ouvimos algum som, este viaja até a orelha pelo ar (condução aérea), mas também existe a condução óssea que transmite a energia sonora para a orelha interna pelas vibrações dos ossos do crânio”, explica o especialista do Consulta Aqui.

“Doenças que acometem a orelha externa e/ou média podem prejudicar a condução aérea, fazendo com que a energia sonora não atinja, efetivamente, a orelha interna. O sistema funciona captando a energia sonora externa, através da prótese, e transferindo a mesma para a orelha interna através da vibração pelos ossos do crânio quando a condução aérea se encontra prejudicada”, complementa.

Inicialmente, o BAHA era indicado para paciente com perdas condutivas, contudo, com o passar dos anos, essas indicações foram se ampliando e hoje tem sido usado para pacientes com perda auditiva resultante do fechamento do conduto auditivo externo e outras malformações da orelha externa e/ou média, surdez unilateral, pacientes que foram submetidos a certos tipos de cirurgias otológicas e aqueles que não se adaptaram aos aparelhos de amplificação sonora tradicionais. Obviamente nem todas as perdas auditivas são passíveis de reabilitação pelo BAHA, devendo ser avaliadas por um otorrinolaringologista.

Quanto à implantação, necessita de uma cirurgia que consiste em uma pequena incisão realizada atrás da orelha prejudicada. Através desse corte, um implante de titânio é fixado ao osso e a ele são conectados os demais elementos que permitem o acoplamento do aparelho ao implante. A cirurgia pode ser realizada tanto com anestesia geral quanto local, a depender da indicação do cirurgião e das condições clínicas do paciente.

As diferenças entre o BAHA e o implante coclear, vão desde as indicações até o modo cirúrgico utilizado para a implantação. “O BAHA é indicado para perdas auditivas condutivas, mistas e surdez unilateral, funcionando de forma a receber a energia sonora e transmiti-la para a orelha interna, que, por sua vez, transmitirá ao nervo da audição. O implante coclear é indicado para casos nos quais a orelha interna em si está prejudicada. Neste caso, são implantados eletrodos no interior da cóclea que irão transmitir impulsos elétricos diretamente ao nervo da audição”, finaliza nosso especialista.

texto: MCAtrês

VOCÊ TEM ATENDIMENTO DE QUALIDADE MESMO QUE NÃO TENHA PLANO DE SAÚDE.