preloder

Notícias

14/11/2018

Síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS)

A medicina do sono é uma subespecialidade da otorrinolaringologia que estuda os distúrbios do sono e suas consequências. A síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é uma das patologias que englobam essa área devido a alta prevalência na população, bem como as consequências à saúde do paciente.

A SAOS tem incidência em qualquer faixa etária. É uma doença multifatorial, podendo ser decorrente de hábitos de vida do paciente, fatores anatômicos, secundária a doenças congênitas, entre outros. Estudos comprovam que fatores genéticos também influenciam na doença.

A hipertrofia de adenoide e/ou amigdala é uma das principais causas em crianças, e, dependendo da avaliação, pode ser tratada clinicamente ou cirurgicamente. Para isso é necessário a avaliação de um otorrinolaringologista, que indicará o tratamento adequado para cada caso.

Em adultos, é comum observar alterações anatômicas palatais, hipertrofia de amigdala, desvio de septo nasal, hipertrófica de cornetos inferiores, entre outras causas.

Os principais sintomas consistem em ronco, sonolência excessiva diurna, acordar com engasgos, falta de ar e despertares durante o sono.

O diagnóstico é baseado na clinica e no exame polissonográfico. A nasofibrolaringoscopia é um exame realizado pelo otorrinolaringologista que pode auxiliar na identificação dos locais de obstrução e assim propor o tratamento.

Há diversas abordagens terapêuticas para a SAOS, sendo as mais comuns o CPAP, aparelho intraoral e procedimentos cirúrgicos, como a uvulopalatofaringoplastia, septoplastia e turbinectomia.

É importante passar por uma consulta com o especialista para o correto diagnóstico e o tratamento adequado para cada caso.

Texto: MCAtrês

VOCÊ TEM ATENDIMENTO DE QUALIDADE MESMO QUE NÃO TENHA PLANO DE SAÚDE.