Consulta Aqui | Por que as mulheres são mais afetadas pela prisão de ventre?

Por que as mulheres são mais afetadas pela prisão de ventre?

Por que as mulheres são mais afetadas pela prisão de ventre?

A constipação intestinal, também conhecida como obstipação intestinal ou popularmente prisão de ventre, incide em uma parcela significativa da população, acometendo crianças, adultos, homens e mulheres, como expressão da dificuldade de evacuação intestinal. Não se trata de uma doença, mas de uma síndrome baseada em sintomas, que pode ser originada de disfunções no intestino, caracterizada pela diminuição e dificuldade dos movimentos intestinais.

Os sintomas mais comuns são fezes ressecadas, evacuações infrequentes, necessidade de esforço excessivo para evacuar, sensação de evacuação incompleta, tempo excessivo e insucesso na defecação.

“Diversos fatores contribuem para o desenvolvimento da constipação intestinal. Idade, sexo feminino, dieta inadequada, disfunções endócrinas e metabólicas, inatividade física, distúrbios psiquiátricos, uso de medicamentos, causas idiopáticas, além do estilo de vida dos países industrializados são alguns deles”, explica a Dra. Bruna Lima Silva Merlo, ginecologista do Consulta Aqui.

Entre as causas que podem explicar a maior prevalência em mulheres estão os danos causados aos músculos pélvicos, e suas inervações, decorrentes de partos e cirurgias ginecológicas. Mulheres que já entraram na menopausa tendem a ter o problema mais frequentemente devido ao prolapso genital, que é um distúrbio provocado pela perda de sustentação de órgãos que constituem o assoalho pélvico.

A prática de atividade física é a grande aliada para o combate ao problema, pois, proporciona movimentos no intestino grosso e mudanças hormonais, que provocam efeitos mecânicos no intestino, facilitando o peristaltismo (movimentos involuntários realizados pelos intestinos e esôfago). Também ajuda a melhorar o tônus da musculatura pélvica e abdominal, facilitando a expulsão do bolo fecal.

Nota-se também o aumento de queixas de constipação intestinal por mulheres grávidas. Isso se dá devido a fatores relacionados à dieta, como a baixa ingestão de fibras e água. Suplementação de ferro, redução na atividade física, motilidade reduzida do cólon e os efeitos hormonais sobre a motilidade gastrintestinal também são agravantes do problema.

“Entender a constipação no período gestacional é importante, pois, é condição comum que leva a queixas nas consultas médicas. O maior conhecimento dos fatores associados pode auxiliar no tratamento e delineamento de estratégias de conduta, visando melhorar a qualidade de vida das gestantes afetadas pela constipação”, diz a Dra. Bruna.

No mais, manter uma dieta equilibrada e rica em fibras, ingerir muito líquido, praticar atividades físicas regularmente, enfim, levar uma vida saudável, são hábitos que visam diminuir a constipação intestinal e, consequentemente, seus desagradáveis sintomas.

Fonte: MCAtrês