Consulta Aqui | Como as disfunções na tireoide podem comprometer a fertilidade feminina

Como as disfunções na tireoide podem comprometer a fertilidade feminina

Como as disfunções na tireoide podem comprometer a fertilidade feminina

A tireoide é uma glândula responsável pela produção de hormônios reguladores do organismo que, apresentando distúrbios, pode comprometer a saúde em vários aspectos e, entre eles, a fertilidade feminina. Para uma vida reprodutiva saudável, a adequada e equilibrada produção dos hormônios tireoidianos é fundamental.

“Por uma questão hormonal, vale lembrar que as doenças na tireoide são muito mais frequentes em mulheres do que em homens. Para se ter uma ideia, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) prevê que em 2020 haverá 13.780 novos casos de câncer de tireoide no Brasil, sendo 1.830 em homens e 11.590 em mulheres”, explica a Dra. Nathalia Morales de Camargo, médica endocrinologista do Consulta Aqui.

Outra pesquisa, essa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), indica que 15% da população sofre de problemas na tireoide.

As disfunções da tireoide mais comuns são o hipotireoidismo, quando a glândula não produz quantidade suficiente de hormônios, e o hipertireoidismo, quando ela passa a produzir os seus hormônios em excesso.

Esses hormônios possuem ação direta na estimulação dos ovários e desenvolvimento saudável dos óvulos e dos embriões. “Nas duas situações, hipotireoidismo e hipertireoidismo, a saúde reprodutiva pode ser prejudicada, uma vez que, para ocorrer a gravidez, os hormônios devem atuar em equilíbrio, favorecendo a ovulação e a permanência do embrião no útero”, diz a médica.

Os sintomas mais comuns do hipotireoidismo são:

  • Cansaço
  • Intolerância ao frio
  • Dispneia (falta de ar) após esforços
  • Ganho de peso
  • Alteração da memória e do raciocínio
  • Constipação intestinal
  • Depressão
  • Irregularidade menstrual
  • Falta de libido
  • Queda de cabelo
  • Mialgia (dor no corpo)

 

Já do hipertireoidismo:

  • Intolerância ao calor/sudorese
  • Fraqueza
  • Palpitação
  • Ansiedade/irritabilidade
  • Insônia
  • Perda de peso
  • Queda de cabelo
  • Alteração no ciclo menstrual

 

O diagnóstico é realizado com exames laboratoriais (TSH, T4 livre e TRAB), além de ultrassom de tireoide. O tratamento pode ser através de medicação, iodo terapia ou cirurgia. Outros sintomas como arritmia e osteoporose podem decorrer pela falta de tratamento correto do hipertireoidismo.

“É imprescindível ao paciente que apresente alguns desses sintomas, procurar um endocrinologista para o preciso diagnóstico e, sendo o caso, posterior tratamento”, alerta a Dra. Nathalia. “Claro que há muitas razões para a infertilidade e nem todas se originam nos problemas da tireoide. Contudo, se a mulher já sabe que possui alguma disfunção na tireoide e está tentando engravidar, é importante procurar um médico para acompanhar o seu caso e ajustar as doses da sua medicação”, completa.

Fonte: MCAtrês