Consulta Aqui | A importância do autocuidado, principalmente, em tempos de pandemia.

A importância do autocuidado, principalmente, em tempos de pandemia.

A importância do autocuidado, principalmente, em tempos de pandemia.

O autocuidado é definido por um conjunto de ações individuais realizadas com o objetivo de cuidar de si mesmo, promovendo a saúde e o bem-estar do corpo e da mente. São exemplos da prática a dieta equilibrada, atividade física, higiene pessoal, terapia psicológica, visitas regulares ao médico, boas noites de sono, entre outros.

“A partir das técnicas do autocuidado, consegue-se obter uma melhor qualidade de vida, melhorando a saúde física e mental, associada ao fortalecimento da autoestima e da autoconfiança”, explica a Dra. Bruna Fávaro, Clínica Geral do Consulta Aqui, Grupo HAS.

Em tempos de pandemia, tais práticas se fazem essenciais tanto para a prevenção da contaminação pelo novo coronavírus, quanto para a manutenção da saúde emocional, intelectual e social.

“É também um modo de proporcionar uma redução do sofrimento psíquico, pois, além de gerar melhoras individuais, aumenta a capacidade do praticante em cuidar do próximo”, complementa a médica.

As práticas de autocuidado podem ser divididas nas seguintes categorias:

  • Higiene e prevenção da contaminação – Lavagem das mãos sempre que possível, com água e sabão, uso de álcool em gel, correta utilização da máscara, troca do calçado ao entrar em casa e banhos antes e após o contato com quaisquer objetos ou pessoas.
  • Física – Alimentação regular e nutritiva, prática de atividade física, noites bem dormidas, visitas regulares ao médico e controle das doenças crônicas.
  • Mental e emocional – Principalmente durante a pandemia, o índice de ansiedade, depressão e outros distúrbios associados ao humor tendem a aumentar. Terapia psicológica, práticas como meditação, permitir o choro, pensamentos positivos e contemplar a natureza são bons exemplos dessa categoria.
  • Intelectual – Exercitar a mente, estimular o pensamento crítico e a criatividade, buscar e aprender algo novo, ler, assistir a um filme, aprender um novo idioma e matricular-se em um curso são formas de manter estímulos constantes do cérebro.
  • Social – Viver em harmonia com as pessoas ao redor, manter contato com familiares e amigos, através de telefonemas e mensagens, e evitar pessoas que, de uma forma ou outra, induzem a uma certa negatividade.
  • Espiritual – Prática de meditação e yoga, voluntariado, participar de missas ou cultos (conforme a orientação religiosa de cada pessoa) são importantes meios de cultivar sentimentos de paz e propósito dentro de si e ao redor.

“Uma das muitas coisas aprendidas nessa pandemia foi a importância de se manter a saúde como um todo, não se limitando apenas ao físico, mas sim a um equilibro entre corpo, mente e espírito”, finaliza a Dra. Bruna.

Fonte: Mcatrês