Consulta Aqui | Um simples torcicolo pode indicar uma doença mais grave.

Um simples torcicolo pode indicar uma doença mais grave.

Um simples torcicolo pode indicar uma doença mais grave.

O torcicolo é uma contratura muscular involuntária na região do pescoço, muitas vezes dolorosa, que causa limitação de movimento rotacional, inclinação da cabeça para um dos lados e rigidez da musculatura. Também pode causar alteração da simetria dos ombros, dor de cabeça e tremores locais.

Geralmente, as contraturas musculares são causadas por estresse local, como traumatismo, mal posicionamento da cabeça, exercício mal executado, má postura e noites de sono mal dormidas ou em posições desconfortáveis. Alterações emocionais, como estresse, ansiedade e depressão frequentemente estão associadas.

“Torcicolo muscular é normalmente uma condição benigna, que, tratado, melhora em torno de dois a quatro dias. Contudo, nos casos persistentes, deve-se atentar para outras causas, pois, existem outras patologias que mimetizam os sintomas, tais como hérnia discal cervical, osteoartrose de vértebras cervicais, problemas na mandíbula e mastigação, doenças neuromusculares e infecciosas, entre outras”, diz o Dr. Rodrigo Vetorazzi, médico ortopedista do Consulta Aqui (Grupo HAS).

O tratamento do torcicolo é conservador, incluindo calor local, uso de anti-inflamatórios e relaxantes musculares. Alongamento, acupuntura e aparelhos de fisioterapia, como ultrassom e TENS, podem ser associados à terapia, visando a melhora sintomática. Exercício físico para fortalecimento muscular, correção postural, melhoria da ergonomia no ambiente de trabalho e das condições do sono, como travesseiros e colchões também são medidas que podem evitar essa incômoda patologia.

“Buscar ajuda para problemas emocionais está entre as ações preventivas, pois, como já dito, muitas vezes as contraturas musculares são derivadas de momentos de grande estresse e até de depressão”, acrescenta o Dr. Vetorazzi.

Em casos de suspeita de patologias cervicais mais graves, exames complementares devem ser associados, tais como radiografia, tomografia e, principalmente, a ressonância nuclear magnética. A eletroneuromiografia (ENMG) pode auxiliar no diagnóstico de alterações neuromusculares e exames de sangue, em casos de suspeita de algum tipo de infecção, também devem ser realizados.

“Existe ainda o torcicolo muscular congênito, que é uma condição que se manifesta no período neonatal ou em lactantes jovens. É uma contratura muscular lateral do pescoço e que pode estar associado a condições do parto, contudo, não é a mesma patologia. No mais, procurar um especialista e evitar a automedicação são sempre as recomendações básicas”, finaliza o ortopedista do Consulta Aqui.

Fonte: MCAtrês