Consulta Aqui | O que é Síndrome do Túnel do Carpo?

O que é Síndrome do Túnel do Carpo?

O que é Síndrome do Túnel do Carpo?

A Síndrome do Túnel do Carpo (STC) é definida pela compressão do nervo mediano no punho e é, dentre elas, a mais comum, atingindo aproximadamente 5% da população entre os 40 e 60 anos, sendo mais frequente em mulheres. “O túnel do carpo, como o nome já diz, é um túnel delimitado por estruturas anatômicas no punho. Dentro dele passam os tendões flexores e o nervo mediano”, define o Dr. Rodrigo Vetorazzi, Ortopedista do Consulta Aqui (Grupo HAS).

Várias são as causas que podem levar o paciente a essa condição e a sociedade ortopédica classifica em alguns tipos, como:

STC Idiopática
Trata-se do espessamento da bainha dos tendões flexores, gerando compressão do nervo no túnel inextensível. Associado à obesidade, diabetes, movimento repetitivos manuais, tabagismo. Vibração e frio são fatores de menor importância.

STC Secundária
Causada por fraturas do punho/carpo mal consolidadas, alterações na forma dos ossos do carpo, artrites com espessamento da bainha do túnel e artrose local com formação de osteófitos.

STC Dinâmica
Associada à movimentação do punho com aumento da pressão local. Pouco relacionada a digitação em teclados.

STC Aguda
Provocada por deformidades de fraturas, hematoma dentro do túnel, infecção local, queimaduras e outros.

Formigamento, perda de sensibilidade, dormência e/ou inchaço na região do pulso, das mãos e dos dedos são alguns dos sintomas mais comuns da STC. “Alterações, principalmente sensitivas, no território do nervo mediano e na face palmar dos três primeiros dedos e metade radial do quarto dedo, como parestesia e formigamento também são muito comuns em pessoas acometidas pela síndrome”, explica o Dr. Vetorazzi.

O diagnóstico da STC geralmente é clínico. História do paciente com detalhamento dos sintomas e testes físicos de provocação (piora dos sintomas) são utilizados, associando exames complementares para determinação da gravidade da lesão. Contudo, em casos específicos, o médico poderá solicitar exames de imagem, como radiografia do punho, eletroneuromiografia (ENMG) e ressonância nuclear magnética (RNM), porém, esse último é solicitado somente para determinar a causa e não com o intuito de diagnosticar a doença.

O tratamento da Síndrome do Túnel do Carpo, nos casos leves e sem déficits, normalmente é conservador, incluindo infiltração de corticoide e órtese (imobilização) noturna com punho neutro. Nos casos de falha desse método, e em casos mais graves, com déficit neurológico, a cirurgia pode ser indicada.

“Existem vários procedimentos que objetivam basicamente a abertura da retinácula dos flexores e, dessa forma, a diminuição da pressão intra-túnel. A principal cirurgia é a técnica aberta convencional e, mais recentemente, por vídeo. O resultado das duas técnicas é semelhante, contudo, a que utiliza o vídeo, por ser minimamente invasiva, tem a recuperação mais rápida”, finaliza o ortopedista do Consulta Aqui.

Fonte: MCAtrês